quarta-feira, 17 de junho de 2009

Brasil tem o maior índice de violência infantil


Dados estatísticos mostram que, no Brasil, mais de 68 crianças são violentadas física, psicológica ou sexualmente por hora.

No “maravilhoso” Brasil, terra de belezas naturais encantadoras, mulheres lindas e cultura extraordinária, mais de 18 mil crianças são vítimas de violência doméstica por dia. Gráficos do UNICEF, Fundo das Nações Unidas para a Infância, comprovam que 80% das agressões são causadas por parentes próximos.

A violência infantil não é só apenas aquela em que o agressor abusa sexualmente da vítima, como todos pensam ser, mas pode ser tanto sexual quanto física e psicológica também. Porém, os dados estatísticos em relação a maus-tratos contra a criança, mostram que em primeiro lugar está a negligencia dos pais.

Os atos de negligencias mais encontrados são crianças abandonadas, sujas, machucadas, passando fome, fora das escolas, doentes e, também, crianças que são levadas às ruas e exploradas pelos pais que as obrigam a trabalhar. É através desse ato de negligencia que começam os outros abusos que acabam ganhando espaço e quase nunca são denunciados e punidos.

A segunda no ranking das agressões é a física, essa sim deixa marcas visíveis e às vezes definitivas. Os que mais praticam esse ato absurdo são os pais e os parentes mais próximos, como irmãos, avós e tios. São comuns tapas, pontapés, queimaduras, socos, e até mesmo ferimentos causados por objetos de todos os tipos, assim como sapatos, talheres, varas, fios, cintos, entre outros.

Ultimamente estão crescendo os índices de abuso sexual contra crianças e adolescentes.

Nessa, que acaba sendo doença, o criminoso obriga a vítima a fazer a praticar sexo, em quase todos os casos com violência física. O problema maior é que quase nunca o agressor não é denunciado, por em quase todos os casos, ele pertencer à família.

A menos relatada e não menos “praticada” é a psicológica, onde os pais, na maioria, gritam, rejeitam, depreciam, discriminam, punem exageradamente, xingam, falam palavrões, castigam e ameaçam seus filhos. Esse tipo não causa marcas visíveis, porém, podem causar grande transtorno na criança agredida e ser irreversível.

A única solução para tentar diminuir esses casos, é, quem suspeitar que alguma criança esteja sendo vítima desses abusos, denunciar ao Conselho Tutelar da sua cidade.



KAKAL RAGAZZI

2 comentários:

Sarah Lisboa disse...

muito bom MESMO! (:

Lucimara Alves disse...

Pois é ,e nem todo mundo sabe disso ou não quer saber